ESPAÇO DE ENCONTRO E REFLEXÃO ENTRE CRISTÃOS HOMOSSEXUAIS em blog desde 03-06-2007
comentar
publicado por Riacho, em 29.06.10 às 23:23link do post | favorito


comentar
publicado por Riacho, em 25.06.10 às 23:20link do post | favorito

tags: ,

comentar
publicado por Riacho, em 14.06.10 às 22:11link do post | favorito

No próximo sábado sai à rua e vem fazer história. Apoia os direitos LGBT! Marca a diferença!

 

 

Para saber mais sobre a marcha clica já aqui: http://marchalgbt.blogspot.com/

comentar
publicado por Riacho, em 17.05.10 às 19:30link do post | favorito

A Igreja Episcopal dos Estados Unidos – que representa o anglicanismo no país – ordenou neste sábado sua primeira bispa abertamente lésbica. A ordenação de Mary Glasspool foi realizada apesar das advertências do arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, que disse que isso aprofundaria a disputa em torno da orientação sexual dos prelados.

Glasspool se tornou bispa auxiliar em uma cerimônia celebrada em Long Beach, Califórnia, da qual participaram 3.000 pessoas.

A reportagem é do sítio Religión Digital, 16-05-2010. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Em 2003, Gene Robinson se tornou o primeiro bispo abertamente gay dos EUA. A Comunhão Anglicana – a afiliação mundial de Igrejas anglicanas – ficou à beira da ruptura.

Junto com Mary Glasspool, Diane Jardine Bruce também foi ordenada bispa neste sábado.

Ambas foram designadas em dezembro como as primeiras bispas mulheres da diocese de Los Angeles, que tem 114 anos de história.

Robert Pigott assegurou que a ordenação de Mary Glasspool foi interpretada como uma deselegância da liberal Igreja Episcopal dos EUA com outras Igrejas anglicanas de todo o mundo.

O arcebispo de Canterbury pediu que a Igreja Episcopal não realizasse a ordenação, advertindo que ela aprofundaria as diferenças com os tradicionalistas anglicanos que consideram a homossexualidade ativa um pecado.

É provável que a ordenação de Glasspool acelere a marginalização da Igreja Episcopal e aumente a tensão entre anglicanos em outros lugares.

No começo, a Igreja Episcopal aceitou suspender a ordenação de bispos abertamente homossexuais, mesmo que depois tenha revogado essa decisão.

Para ler mais:

Fonte: http://www.ihu.unisinos.br/index.php?option=com_noticias&Itemid=18&task=detalhe&id=32496


comentar
publicado por Riacho, em 16.05.10 às 23:53link do post | favorito

5 Mitos derrubados sobre os Gays

Para contar algumas verdades e esclarecer a população, este artigo vem derrubar cinco mitos a respeito dos homossexuais

Hypescience - Rafael Alves

 

Você pode descobrir coisas que sempre imaginou serem diferentes.

Alguns conceitos sobre homossexualismo encontram grande aceitação entre as pessoas.

 

1 – Animais são sempre heterossexuais

Há quem conteste o homossexualismo por dizer que não é parte da natureza, já que não existem animais gays. Mentira. Animais como pinguim, golfinho, bisão, cisne, girafa e chimpanzé são apenas alguns exemplos de animais que praticam relações homossexuais.

Isso derruba outro senso comum, de que os animais só fazem sexo para reprodução. O que ainda intriga os cientistas é o motivo. As teorias mais aceitas dizem que o relacionamento de animais do mesmo sexo ajuda a fortalecer laços sociais.

2 – Relacionamentos gays não duram

Geralmente, se tem essa ideia. Ou pelo menos que eles não duram tanto quanto as relações heterossexuais. Algumas teorias psicológicas afirmam que é justamente o preconceito das outras pessoas e a dificuldade de reconhecimento legal que levam os casais homossexuais a desejarem fortalecer um relacionamento.

Um estudo da Universidade de Washington acompanhou casais gays por um período de doze anos, e constatou que um a cada cinco casais romperam a relação, taxa inferior à de divórcios no mesmo período.

3- A maioria dos pedófilos são gays

Essa é uma questão delicada, já que pedofilia é um dos poucos assuntos no mundo em que há unanimidade: ninguém defende publicamente a pedofilia. Quando se trata de traçar um perfil do pedófilo, alguns imaginam uma compulsão a desejos homossexuais. Um instituto de Psiquiatria no Canadá fez um estudo com gays para descobrir se havia alguma ligação entre as duas coisas. Os cientistas chamaram homens homo e outros heterossexuais, lhes mostraram fotos de crianças e mediram sua excitação sexual. Os homossexuais não reagiram mais fortemente à imagem de meninos do que os heteros à de meninas.

 

Um outro estudo, da Universidade do Colorado, analisou 269 casos de abuso infantil. 82% dos casos foram iniciativa de adultos heterossexuais, e os 18% restantes ficaram divididos entre homens gays e lésbicas. De lambuja, o estudo afirmou concluir que homossexuais tendem a resolver conflitos mais facilmente.

4 – Casais gays não são bons como pais ou mães

Uma ideia que envolve legalidade, já que a justiça da esmagadora maioria dos países proíbe o casamento homossexual, também não se mostrou verdadeira. Muitos fazem fileiras contra o casamento gay porque não admitem a possibilidade de que eles possam formar uma família.

Estudos analisaram alguns quesitos com os filhos de casais. 90 adolescentes foram analisados, por exemplo, na escola, e a média de nota foi superior em filhos de casal homossexual. O estudo mostrou também que não há entre filhos de casal homossexual tendência nenhuma para entrar em delinquência juvenil, que ás vezes é relacionada a revoltas ou traumas de infância. A conclusão do estudo, de que não há mal nenhum em que casais gays criem filhos, foi publicada em uma revista norte-americana em fevereiro deste ano.

5 – Ser gay é uma escolha

Esta aqui pode causar a maior surpresa: um estudo afirma que o homossexualismo não é uma escolha, é genético! Um estudo da Universidade McMaster, em Ontario (Canadá). Entenda: a pesquisa analisou gêmeos univitelinos ( gêmeos idênticos em que todos os genes são compartilhados), com gêmeos bi vitelinos (chamados de gêmeos fraternos, onde apenas 50% dos genes são iguais). Observou-se que os gêmeos idênticos estão mais propensos a ter a mesma orientação sexual – seja ela qual for – do que os gêmeos fraternos. Ou seja, na maioria dos gêmeos idênticos, se um deles é gay, o outro também o será, ou seja, está no gene.

O estudo também achou outras possíveis causas para a homossexualidade. Uma delas, curiosa, é a exposição hormonal do feto dentro do útero durante a gravidez. E há particularidades no organismo de indivíduos sexuais, tais como diferenças no sistema nervoso central. E uma surpreendente, que caracteriza os gays pelo formato da orelha! [Live Science]

 

Fonte http://www.adjorisc.com.br/jornais/obarrigaverde/comportamento/5-mitos-derrubados-sobre-os-gays-1.283936

comentar
publicado por Riacho, em 05.05.10 às 00:23link do post | favorito

Comemora-se hoje o quarto aniversário de namoro com o lindo que conheci num dos encontros do Riacho. Por isso quero dedicar-lhe especialmente este vídeo e partilhar com todos a alegria de viver uma relação muito estimulante e que nos dá forças para caminhar com mais coragem e determinação, quer na sociedade quer na igreja, para mudar o que tem de ser mudado, não abdicando nunca da nossa dignidade de filhos de Deus!

 

Beijinhos

 

Carlos

 

 


comentar
publicado por Riacho, em 02.05.10 às 23:31link do post | favorito

Hoje sugerimos este musical gay que pode ser visualisado integralmente em http://gayload.blogspot.com/2010/05/big-gay-musical.html

 

O multi talentoso Fred M. Caruso, traz a hilária estória de backstage do mundo dos musicais com dramas, romance, religiosidade, pecado, saída do armário e até anjos e Deus são colocado no enredo. A arte imita a vida e Eddie e Paul (Adam e Steven) são gays e buscam o amor. Em meio a conflitos pessoais, Eddie sai do armário e enfrenta o ódio de sua família, enquanto Paul é mais descolado. Até que depois de terapias de conversão, retiros espirituais, situações hilárias, eles decidem que é preciso aceitar o que Deus criou.

 

A não perder. Eis a trailer. Bom início de semana.

 


comentar
publicado por Riacho, em 26.04.10 às 20:34link do post | favorito

Olá

 

Divulgamos hoje um novo portal de temática LGBT. Visita já.

 

 

"Está lançado o portal de notícias e eventos que reflecte o dia-a-dia da temática LGBT em Portugal e no mundo, de forma objectiva e sem preconceitos, destinado a tod@s que gostem de estar em cima do acontecimento.

 

Dezanove é o número do artigo da Declaração Universal de Direitos Humanos que diz que todo o ser humano tem direito à liberdade de opinião e expressão, mas também de procurar, receber e transmitir informações e ideias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras.

Visita-nos em www.dezanove.pt

 

 

E segue-nos no www.facebook.pt e no twitter.com/dezanovePT "

tags: , ,

comentar
publicado por Riacho, em 18.04.10 às 19:19link do post | favorito

Olá

 

Pede-nos a Eduarda Ferreira que divulguemos o pedido de colaboração no questionário sobre a percepção do grau "LGBT friendly" dos espaços publicos. Não custa nada tirar uns minutinhos para ajudar o projecto.


Estou a desenvolver o projecto de investigação "Representing Spaces of (In)Equality: Layers of Visibility". O resumo do projecto pode ser lido em http://www.eferreira.net/resumoprojecto.pdf

A primeira fase deste projecto de investigação tem como objectivo mapear os espaços físicos e online lésbicos e gay em Portugal.
Momentos desta primeira fase:
1. Listar os espaços comerciais de convívio identificados como "LGBT friendly"
2. Analisar a percepção do grau “LGBT friendly” dos espaços públicos
3. Analisar os espaços online (websites, blogues, fóruns, etc.)
4. Realizar entrevistas semi-estruturadas / Focus groups

No primeiro momento da primeira fase criei uma lista de espaços "LGBT friendly" (a lista foi construída com base em informação recolhida em vários sites de temática LGBT). No período de 21 de Março a 4 de Abril de 2010, a lista esteve aberta a comentários. Está disponível em http://sites.google.com/site/lgbvisibility a lista final que inclui todas as informações enviadas. Todos os espaços listados podem ser encontrados no mapa “Espaços LGBT friendly”.

Este é o segundo momento da primeira fase :-)
Elaborei um questionário com o objectivo de analisar a percepção do grau “LGBT friendly” dos espaços públicos.
Embora se refira a sigla LGBT por ser a mais utilizada, esta investigação tem como objecto de análise as questões relacionadas com a orientação sexual e a representação dos espaços, não incluindo a análise de questões relacionadas com identidade de género. Esta opção prende-se com uma característica específica da orientação sexual relevante para este estudo, a possibilidade da invisibilidade.
A tua colaboração é muito importante!

 


Responde ao questionário em http://www.surveymonkey.com/s/LGBTvisibility
(quem respondeu à versão pré-teste, por favor responda de novo a esta versão)

Agradeço a tua disponibilidade para responder a este questionário.

Eduarda Ferreira

 



mais sobre nós
Fevereiro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds