ESPAÇO DE ENCONTRO E REFLEXÃO ENTRE CRISTÃOS HOMOSSEXUAIS em blog desde 03-06-2007
comentar
publicado por Riacho, em 15.12.12 às 11:27link do post | favorito

A ameaça às pessoas não é a pedofilia de alguns padres que alguns bispos portugueses até conhecem mas não denunciam?

 

Papa Bento XVI
Papa Bento XVIFotografia © Tony Gentile/Reuters

O Papa Bento XVI revelou hoje a sua mensagem para o Dia Mundial da Paz 2013 numa conferência de imprensa no Vaticano. O Papa teceu críticas ao casamento homossexual, ao aborto e à eutanásia, e destacou a importância do direito ao trabalho, que considera ameaçado.

A mensagem para o 46.º Dia Mundial da Paz, a celebrar a 1 de janeiro de 2013, tem como título "Bem-aventurados os construtores da paz". Na apresentação da mesma, hoje, o Papa afirmou que "as tentativas" de casamento "entre um homem e uma mulher (...) juridicamente equivalentes a formas radicalmente diferentes de união" são um "atentado conta a verdade da pessoa humana" e "uma ferida grave infligida à justiça e à paz", cita o site do jornal italiano 'Corriere della Sera'.

Em relação ao casamento o Papa defendeu que o mesmo deve ser protegido pela sua estrutura natural: "o casamento deve ser protegido e reconhecido como uma união entre um homem e uma mulher", considerando que os casamentos homossexuais "prejudicam" e "contribuem para a sua desestabilização [do casamento heterossexual] obscurecendo o seu caráter especial e o seu papel social insubstituível", cita o 'Corriere della Sera'

A mensagem do Papa não se ficou por aqui e abordou ainda temas como o aborto e a eutanásia. Bento XVI considerou que é importante "para uma cooperação pela paz" que "as leis jurídicas e a administração da justiça reconheçam o direito ao uso do principio da objeção de consciência, em matéria de leis e medidas governamentais que atentam contra a dignidade humana, como o aborto e a eutanásia", afirmou Bento XVI.

Posto isto, o Papa falou sobre a importância do trabalho, dizendo que "entre todos os direitos e deveres sociais, o que hoje está sob maior ameaça é o direito a trabalhar". Para Bento XVI é necessária uma "consideração renovada sobre o trabalho, baseada em princípios éticos e valores espirituais", cita o mesmo jornal.

 

Fonte: http://www.dn.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=2946920&seccao=Europa

 


comentar
publicado por Riacho, em 08.03.12 às 00:11link do post | favorito

A morte do cantor Lucio Dalla, vítima de um enfarte no último dia 1º, revelou mais uma vez a hipocrisia da Igreja Católica. Homossexual e católico fervoroso, ele ganhou um funeral grandioso por onde passaram mais de 30 mil pessoas. Duas condições, no entanto, foram impostas pela igreja: de que não se falasse em seu companheiro e que não se tocasse suas músicas consideradas mais liberais.

Entretanto, a jornalista Lucia Annunziata, bastante respeitada no país, contestou o silêncio da Igreja e tirou Dalla do armário. “O funeral de Lucio Dalla é um dos exemplos mais fortes do que significa ser gay na Itália. Você vai à igreja, fazem os seus funerais e o enterram no rito católico. Basta você não dizer que é gay. É o símbolo do que somos. Há permissividade, contanto que olhemos para o outro lado”.

O cantor vivia em Bolonha, ao Norte do país, com o ator, poeta e diretor teatral Marco Alemanno, de 32 anos. Dalla, de 68 anos, lançou mais de 20 álbuns em mais de 40 anos de carreira e seu maior sucesso no Brasil foi a canção “Caruso”, que foi tema da novela “De Corpo e Alma”, de Glória Perez, em 1992.

 

Fonte: http://paroutudo.com/2012/03/07/morte-do-cantor-gay-lucio-dalla-expoe-hipocrisia-da-igreja-catolica/


comentar
publicado por Riacho, em 30.04.10 às 20:16link do post | favorito

Note-se bem que esta chocante notícia não diz respeito a um casal homossexual. Se fosse esse o caso já ai estavam os movimentos a favor da vida e da moral e dos bons costumes em manifestações e a pedir referendos contra o casamento e a adopção por casais do mesmo sexo. Afinal onde está o superior interesse das crianças? Que sociedade permite que os pais heterossexuais cometam estes actos com os próprios filhos e ninguém dê conta de nada, ninguém saiba de nada? Os abusos ocorriam há anos. O que fez ou fazem as igrejas de concreto para ajudar estas pessoas em vez de apregoar os falsos moralismos? Ser pai e mãe nada tem a ver com orientação sexual, mas em amar do fundo do coração, aqueles que nos são confiados.

 

Carlos

 

"Menina de 9 anos contou na escola que fazia sexo com os pais e os irmãos, rapazes de 11 e 13 anos. Pintor da construção e operária fabril foram detidos, mas ela foi libertada

Quando uma menina de 9 anos desabafa na escola primária que gostava de fazer sexo, a professora ficou alarmada. Mas ao ouvir que as relações sexuais eram praticadas com os pais e com os irmãos, de 11 e 13 anos, de imediato o caso chegou à polícia. O casal, um pintor da construção civil de 39 anos e uma operária fabril de 30, foi detido (ele ficou em preventiva) e as três crianças institucionalizadas.

"Do mais escabroso que vimos." Assim descreve a PJ o caso em que os pais violavam e obrigavam-nos a praticarem sexo entre eles. A denúncia chegou quarta -feira à Directoria do Norte por via da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens em Risco de Vila do Conde, previamente alertada pela escola. No mesmo dia foram feitas diligências, com inquirições e exames médico-legais às crianças, que levaram à detenção dos suspeitos.

Os abusos ocorriam há anos. "Não se consegue precisar desde quando porque as crianças dizem que já acontecia há muito tempo sem saberem exactamente quando começou", explicou ao DN fonte da PJ. O sexo era praticado em conjunto pelos cinco elementos da família, num cenário de "total anormalidade", informou a mesma fonte, considerado que a prova recolhida contém "elementos muito consistentes". O homem ainda negou os factos no interrogatório policial, mas a mulher acabou por confessar.

A conversa da menina com a professora foi chocante. Confessou que fazia sexo com a família e acrescentou que preferia relações com os irmãos do que com o pai porque "a coisa do pai era muito grande e magoava". A criança de apenas 9 anos denotava uma total ausência de compreensão daquilo em que estava envolvida. Frisava mesmo que "gostava de fazer sexo".

De acordo com a PJ, os pais violavam os filhos, com actos sexuais consumados. "Tanto a mãe como o pai. Foram indiciados por violação e não por abusos sexuais de menores porque houve consumação. É mais grave em termos penais", explicou um investigador policial. As penas serão agravadas já que se trata dos próprios filhos.

Os dois detidos foram ontem à tarde presentes a um juiz de instrução no Tribunal de Vila do Conde, tendo José ficado preso e a mulher com a obrigatoriedade de se apresentar diariamente às autoridades.

Na freguesia de Retorta, onde o casal e os filhos viviam há menos de um ano, a população ficou incrédula. Viam José "Palhaço" como um pai severo, mas incapaz de tamanho crime. Já a mãe é conhecida por ter algum desequilíbrio mental, assim como as três crianças. A menina, apesar de alguma incapacidade, "era a mais esperta". O irmão de 11 anos mal consegue falar de forma normal para a sua idade. Os dois mais novos frequentavam a escola básica da freguesia. A mãe, a trabalhar numa fábrica de conservas, em Vila do Conde, deixava-os numa ama. "Eu depois passava lá e levava-os para a escola. Ao final da tarde transportava- -os até casa, onde o irmão mais velho, a estudar na cidade, os esperava", explicou ao DN Cristina Soares, motorista do autocarro escolar.

A verdade é que anteontem, quando foi buscar as duas crianças à escola, foi informada de que elas iriam permanecer lá. No exterior, dentro de dois automóveis, as professoras esperavam pela chegada das assistentes sociais da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Vila do Conde.

"Ao passar junto ao cruzeiro vi a mãe e quando lhe contei o que acontecera na escola ela ficou preocupada. Agora sei porquê, deve ter percebido que as crianças tinham falado de alguma coisa", acrescenta a motorista.

A família vive numa casa modesta da Rua de Camões da freguesia. "Ele gosta pouco de trabalhar. Chegou a ser funcionário numa empresa juntamente com o meu marido, mas depois saiu. Estava sempre a mentir e a inventar doenças nele e nos filhos", refere Maria Fernanda Tiago. Os vizinhos contam ainda que devido às dificuldades económicas do agregado não faltavam ajudas.

As três crianças estão agora num centro de acolhimento."

 

 

 

Fonte: http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1557111&seccao=Norte

 

 

 


comentar
publicado por Riacho, em 20.03.10 às 22:46link do post | favorito

Esta é uma realidade muito típica portuguesa quer na sociedade civil quer dentro das igrejas mas, como disse Jesus, só a verdade liberta.

 


comentar
publicado por Riacho, em 09.03.10 às 23:08link do post | favorito

Será que a hipocrisia relatada nesta notícia não é mesma de alguns cristãos das comunidades paroquiais e do Vaticano? Uma perseguição obsessiva é sempre de suspeitar...

O senador republicano Roy Ashburn, que sempre se opôs a reconhecer igualdade de direitos aos homossexuais, admitiu que é gay. O anúncio surgiu dias depois da detenção de Ashburn, que conduzia alcoolizado, no regresso de um bar gay, em Sacramento, na Califórnia.
Roy Ashburn votou contra o casamento gay na Califórnia Roy Ashburn votou contra o casamento gay na Califórnia (Kimberly White/Reuters)


 

“Eu sou homossexual... são estas as palavras que foram tão difíceis para mim durante tanto tempo”, admitiu ontem à estação de rádio de Bakersfield, KERN-AM, citado pela BBC.

Estas declarações, que têm sido tema de discussão nos media e na blogosfera, já lhe valeram acusações de hipocrisia, conta o “Los Angeles Times". Roy Ashburn votou, em 2005, contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo na Califórnia e, no ano passado, contra o estabelecimento do dia de Harvey Milk, em honra do activista gay norte-americano assassinado.

“É triste que ele tenha ajudado a espalhar o fanatismo que o forçou a permanecer no armário”, lamentou ao “Los Angeles Times” Geoff Kors, director executivo do Equity Califórnia, grupo que apoia o casamento entre os homossexuais.

Ashburn explicou, depois da revelação, que os seus votos se limitam a reflectir os desejos das pessoas que representa.

“Através das minhas acções, tornei a minha vida pessoal pública”, disse, citado pelo diário de Los Angeles. O senador assegura ter sempre tentado não misturar a vida privada com a profissional.

Ashburn será presente a tribunal no próximo mês.

 

Fonte: http://www.publico.clix.pt/Haiti/republicano-que-votou-contra-o-casamento-gay-admite-que-e-homossexual_1426261

 


mais sobre nós
Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


pesquisar
 
Website counter
blogs SAPO