ESPAÇO DE ENCONTRO E REFLEXÃO ENTRE CRISTÃOS HOMOSSEXUAIS em blog desde 03-06-2007
comentar
publicado por Riacho, em 19.10.12 às 21:13link do post | favorito
Grande mãe!

A actriz Sally Field, que muitos reconhecerão da série “Brothers and Sisters” foi distinguida com o prémio de Aliada pela Igualdade da Fundação pelos Direitos Humanos (HRC). Na série de televisão Sally Field interpretava a personagem de Nora Walker, a matriarca a braços com a vida de uma família de cinco filhos, um deles assumidamente homossexual, após o falecimento do marido.

 


comentar
publicado por Riacho, em 25.03.12 às 15:02link do post | favorito

Homossexuais: Pais que revelem orientação sexual ao filhos devem fazê-lo sem dogmas - psicólogo

 

Psicólogo, terapeuta familiar e especialista em questões de género, Pedro Frazão não tem dúvidas em afirmar que cada vez mais vão surgir casos de pais que revelam a sua homossexualidade aos filhos.

“A homossexualidade sempre existiu. É importante que as pessoas percebam que não se trata de uma invenção da modernidade e estas são situações que vão acontecer mais porque há uma abertura muito maior do ponto de vista social em Portugal, sobretudo nos últimos 20 anos”, explicou Pedro Frazão à Lusa.

Maria (nome fictício) foi casada durante vários anos e teve uma menina e um rapaz desse relacionamento. Ainda estava casada quando teve “uma relação muito próxima com uma colega de trabalho” e se questionou, pela primeira vez, sobre a sua orientação sexual.

Garante que não foi isso que ditou o fim do seu casamento e que a relação terminou por si própria. Quando se divorciou a filha tinha quatro anos e o filho dez e a primeira relação homossexual aconteceu cerca de um ano depois.

“No início tive bastante medo e chegou a passar-me pela cabeça que os meus filhos quando soubessem iam contar ao pai e ele iria querer ficar com eles porque acharia que os filhos não deveriam ter uma mãe homossexual. Também me passou pela cabeça esconder a relação até eles serem maiores, mas isso era um longo caminho. Depois fui-me acalmando”, contou Maria à Lusa.

Até aos 28 anos, Paulo (nome fictício) nunca assumiu que era homossexual, apesar de sempre ter sabido que essa era a sua orientação sexual.

Viveu com uma namorada durante cinco ou seis anos, têm uma filha e é quando a relação acaba – “mais por ela” – que Paulo ganhou coragem para se assumir. A ex-companheira acompanha a “saída do armário” e apoia-o.

Depois chegou a altura de contar à filha que alguns dos amigos do pai não eram só amigos e que às vezes também eram namorados.

“A escola primária não era uma boa altura porque ela depois poderia confidenciar aos colegas e estes gozarem com ela”, explicou Paulo. A revelação acabou por acontecer durante as férias de verão, o ano passado.

“Já não sei como é que veio a conversa, mas já lhe tinha dito que tinha uma coisa especial para lhe contar e logo na primeira noite fomos fazer uma caminhada na praia e contei-lhe fazendo uma comparação com alguma coisa que ela percebesse”, contou.

A comparação meteu ervilhas pelo meio. Paulo admite que não terá sido “das comparações mais felizes”, mas olhando para trás tem consciência que não há fórmulas ideais.

“Disse-lhe que se calhar não gostamos muito de ervilhas, por exemplo. Comemos uma vez, uma segunda e vamos comendo até que às tantas já não conseguimos comer mais ervilhas e relacionei isso com o que se passou comigo”, adiantou Paulo.

Maria optou por não falar com os dois filhos ao mesmo tempo. Na altura, a filha ia entrar para a escola primária e entendeu que era ainda muito pequena para compreender.

“Resolvi falar com o meu filho mais velho e disse-lhe: Aquela amiga da mãe de quem tu tanto gostas e que achaste bem vir viver connosco, não é só amiga e tenho um sentimento por ela que é mais do que amizade, é como eu senti pelo teu pai na altura em que casei e tu e a tua irmã nasceram. Neste momento ela é minha namorada”, contou.

O psicólogo Pedro Frazão aconselha aos pais a terem uma atitude de abertura, “sem grandes dogmas”, na altura de contarem aos filhos que a sua orientação sexual é diferente daquela que eles pensavam e lembra que “são as bases da relação daquelas pessoas, que já existia anteriormente, que determinam como é que as coisas vão correr”.

“Deve-se adaptar a linguagem consoante a idade das pessoas porque é diferente contar a uma criança ou contar a um adulto ou a um adolescente”, explicou, acrescentando que as reações podem ser as mais diversas.

Para a filha de Paulo, por exemplo, a revelação resultou num misto de surpresa: primeiro de choque e depois num “bombardeamento” de todo o tipo de perguntas. O filho mais velho de Maria disse imediatamente à mãe que desde que ela estivesse feliz, ele também estava, enquanto a irmã disse que não gostava de ser a única criança com duas mães.

Pedro Frazão lembrou que os pais têm de ter a noção que da mesma maneira que eles demoraram muitos anos até lidarem com a sua orientação sexual e assumirem para si essa realidade, “as pessoas a quem contam também vão precisar de tempo para absorver a nova informação e começar a ver essa nova realidade”.

Na opinião do psicólogo, é mais difícil para alguém que durante toda a vida conheceu os pais como heterossexuais ter de reformular essa informação do que uma criança que tem dois pais ou duas mães e que desde sempre conheceu aquele modelo.

“À semelhança da pessoa que revela a sua orientação sexual, estas pessoas têm que lidar com a ideia de terem um pai que é gay ou uma mãe que é lésbica e de terem de escolher se vivem isso de uma forma silenciosa ou se partilham isso com as pessoas que conhecem”, sublinhou.

Acrescentou que esta é uma informação que obriga a uma reformulação da imagem que se tem dos pais, mas que não é muito diferente de um filho achar que os pais têm um casamento feliz e depois perceber que isso não era verdade.

“Aqui é o mesmo, só que a questão é muito mais estigmatizada”, considerou.

Maria e Paulo não se arrependem de ter contado e garantem ter uma relação de maior abertura e de cumplicidade com os respetivos filhos. Agora, o medo é outro, que os filhos se venham a magoar por causa da orientação sexual dos pais.

 

Fonte: http://noticias.sapo.pt/nacional/artigo/homossexuais-pais-que-revelem-or_3061.html


comentar
publicado por Riacho, em 02.03.12 às 23:04link do post | favorito

Um adolescente, que gosta de ouvir música e vive no computador, apaixona-se pelo atleta mais cobiçado pelas garotas da escola. Aos 16 anos, ele tem dificuldade em entender e assumir sua sexualidade. Como uma versão inglesa das comédias de adolescentes de John Hughes dos anos 80, o filme conta a história de Steven, cuja melhor amiga é a avoada vizinha Linda (Charlotte Brittain) que é a única que sabe que ele é gay e que tem uma forte atração pelo colega da escola Dixon (Brad Gordon).

 



comentar
publicado por Riacho, em 21.09.11 às 23:41link do post | favorito

Um soldado das Forças Armadas dos EUA decidiu contar ao pai que é homossexual. Foi com as palavras "Pai sou gay!" que o militar de 21 anos
anunciou, por telefone, a orientação sexual. Uma conversa que gravou com a webcam e colocou no Youtube. Veja o vídeo. A notícia não foi dada ao pai por acaso. A lei americana "Don't ask, Don't tell" (não perguntes, não digas) terminou, na passada terça-feira. Com o fim do tabu da homossexualidade dos militares, o soldado não quis perder mais tempo e divulgou ao pai e ao mundo que é gay.

Segundo o diário norte-americano "Washington Post", o soldado chama-se Randy Phillips e gravou o vídeo em directo da base aérea de Ramstein, na Alemanha. O soldado confessou estar nervoso. Quando o pai atendeu, perguntou-lhe se o amava e só depois lhe contou a novidade.

Há 18 anos que a lei contra os homossexuais estava em vigor e, depois de um debate apaixonado, gays e lésbicas já não têm que esconder a sua orientação sexual. Segundo Leon Panetta, secretário da Defesa, este foi um "dia histórico". Neste período de 18 anos, cerca de 14 mil soldados foram afastados das forças armadas por causa da orientação sexual. "Trata-se de homens e mulheres que colocam a sua vida em risco para defender o país e isso é que importa", lembrou Panetta.

 

Fonte: http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=2009160


comentar
publicado por Riacho, em 23.08.11 às 16:01link do post | favorito
Comédia que explora o lado confuso e surpreendente do amor através da consciencialização de Oliver. Apenas alguns meses depois do seu pai Hal falecer, Oliver conhece a irreverente e imprevisível Anna. Este novo amor inunda Oliver de memórias do seu pai que, a seguir à morte da sua mulher, e já com 75 anos, resolve sair do armário, para uma preenchida, enérgica e maravilhosamente tumultuosa vida homossexual. O impacto da nova honestidade de Hal, ora engraçada, ora comovente, aproximaram pai e filho mais do que alguma vez conseguiram. Na sequência de toda esta experiência e transformações, Oliver descobre o verdadeiro amor junto de Anna, enfrentando a relação com toda a coragem, humor e esperança que o pai lhe ensinou.
Estreia em Portugal a 1 de Setembro de 2011

comentar
publicado por Riacho, em 24.09.10 às 19:59link do post | favorito

Sugestão de cinema para hoje às 22 horas, no cinema S. Jorge. Children of God conta-nos a história de três indivíduos: Lena, a esposa de um pastor gay no armário; Romeo, um jovem negro que esconde a sua sexualidade e Jonny, um artisto branco com um problema de inspiração. Os três dirigem-se até à tranquila ilha de Eleuthera, cada um por uma razão diferente...

 


comentar
publicado por Riacho, em 19.09.10 às 21:45link do post | favorito

Vi o filme e recomendo, é uma ternurinha! Fica a trailer para abrir o apetite:

 

 

 

 

E vale também pela banda sonora!

 


comentar
publicado por Riacho, em 27.08.10 às 23:27link do post | favorito
Publicado em 27 de Agosto de 2010  |  Actualizado há 2 horas

 

Crispin Blunt, político conservador britânico e actual ministro responsável pelas prisões no Reino Unido, anunciou ter-se separado da mulher depois de ter assumido ser homossexual.

A informação foi revelada por meio de um comunicado, publicado pelo Ministério da Justiça, que refere “não haver uma terceira pessoa envolvida” no fim do seu casamento.

O comunicado explica que Blunt, de 50 anos, “decidiu reconhecer a sua homossexualidade e explicou a sua decisão à família. A consequência desta acção é a separação”.

O documento acrescenta que este é “momento difícil” para a família de Blunt e que “a família prefere não comentar publicamente este assunto e espera que seja respeitada a sua privacidade”.

Blunt casou-se com a sua mulher em 1990 e tem dois filhos.

 

Fonte: http://www.ionline.pt/conteudo/75746-politico-britanico-assume-homossexualidade-e-separa-se-da-mulher-

 

 

Crispin Blunt à direita

comentar
publicado por Riacho, em 26.08.10 às 23:28link do post | favorito

 

O chefe da campanha para a re-eleição de 2004 de George W. Bush e antigo alto dirigente do Partido Republicano afirmou ser homossexual em entrevista a uma revista.

 

Em declarações publicadas na edição online da The Atlantic, Ken Mehlman, que há já algum tempo tinha deixado o partido Republicano, revela que só teve consciência da sua orientação sexual há relativamente pouco tempo. E justifica a sua abertura ao mundo sobre esta questão pois pretende participar na defesa do casamento para gays e lésbicas. E um primeiro passo nesta direcção será participar num jantar de recolha de fundos em Setembro de uma organização que defende o direito ao casamento na Califórnia.

 

"Demorei 43 anos a sentir-me confortável com esta parte da minha vida", afirmou Mehlman, "Todos temos os nossos próprios percursos de viagem, e para mim, nos últimos meses, informei a minha família, amigos e antigos colegas e atuais colegas, e eles tem sido maravilhosos e apoiaram-me." Também revela que todo este processo o fez "mais feliz" e uma "melhor pessoa", concluindo que era algo que "gostaria de ter feito há anos atrás".

 

A revelação de Ken Mehlman é mais relevante tendo em conta o histórico não muito favorável de medidas contra o reconhecimento de direitos das pessoas LGBT por parte do partido Republicano. Ele próprio reconhece que poderia ter uma diferença significativa ele ter tomado esta posição de abertura sobre a sua sexualidade quando estava activamente na política do Partido Republicano. Em particular sente-se culpado por ter aberto mentalidades dentro do partido sobre múltiplas questões, mas não ter tido a capacidade de fazer o mesmo sobre as questões LGBT.

Ken Mehlman é a pessoa com mais poder no partido republicano a aparecer em público abertamente como homossexual e diversos activistas dos direitos LGBT reconhecem o seu potencial político para a causa mesmo tendo em conta o seu silêncio no passado.

EUA: Chefe de campanha de George Bush afirma: Sou Gay

 

Fonte: http://portugalgay.pt/news/260810A/eua:_chefe_de_campanha_de_george_bush_afirma:_sou_gay


mais sobre nós
Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


pesquisar
 
Website counter
blogs SAPO
subscrever feeds