ESPAÇO DE ENCONTRO E REFLEXÃO ENTRE CRISTÃOS HOMOSSEXUAIS em blog desde 03-06-2007
comentar
publicado por Riacho, em 30.05.13 às 23:40link do post | favorito

Ontem foi o dia em que nós, católicos de condição homossexual, fomos todos franceses!

 


comentar
publicado por Riacho, em 26.05.13 às 22:03link do post | favorito

Sacerdote Pino Puglisi proclamado como mártir 20 anos após a sua morte

Lusa

 

Palermo, Itália, 25 mai 2013 (Ecclesia) – O padre italiano Pino Puglisi, assassinado em 1993 pela mafia siciliana, foi hoje beatificado em Palermo, numa cerimónia ao ar livre que reuniu cerca de 100 mil pessoas, segundo as autoridades locais.

A missa foi presidida pelo cardeal Paolo Romeo, responsável pela diocese da capital da Sicília, que leu a carta apostólica para a proclamação da beatificação, penúltimo passo rumo à declaração de um fiel católico como santo.

O cardeal proferiu uma homilia com várias referências à mafia que matou o padre Puglisi por causa da sua ação em favor dos “pobres, das crianças e dos jovens”, combatendo o “controlo do território”.

D. Paolo Romeo defendeu que o “padrinho” que se impõe a todos é diferente do Deus “Pai” que ama todos, criticando os “mafiosos que se dizem e mostram crentes”.

A violência e a morte “nada têm a ver com o Evangelho da vida que Jesus veio a trazer ao mundo”, observou.

Numa mensagem enviada para esta celebração, o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, declarou que a beatificação é “um momento de festa e de testemunho para a Igreja”.

“O exemplo e a interceção de don Puglisi, sacerdote exemplar, mártir da fé e da caridade educativa, em particular com os jovens, continuem a suscitar na comunidade eclesial e civil respostas generosas e coerentes ao chamamento de Cristo”, acrescenta o texto, divulgado pela Rádio Vaticano.

“Don Giuseppe”, o padre Pino Puglisi, foi um sacerdote diocesano conhecido pelo seu combate à criminalidade organizada, tendo fundado um centro para jovens e meninos da rua, o ‘Centro Padre Nostro’.

O novo beato foi assassinado pela mafia a 15 de setembro de 1993, dia do seu 56.º aniversário.

O decreto de beatificação do padre Puglisi por martírio “em ódio à fé” foi promulgado pelo Papa emérito, Bento XVI, a 28 de junho de 2012.

O Papa Francisco esteve representado na celebração pelo cardeal Salvatore De Giorgi, arcebispo emérito de Palermo.

Um longo aplauso acompanhou a saída do féretro para a cerimónia de beatificação, concelebrada por 40 bispos e 750 padres.

OC


comentar
publicado por Riacho, em 22.05.13 às 23:47link do post | favorito

Grã-Bretanha tornou-se ontem mais um país a aprovar o casamento gay. A votação na Câmara Alta do Parlamento ocorreu após uma intensa negociação entre o governo do primeiro-ministro, David Cameron, que defendia o projeto, e setores mais conservadores de seu partido. No fim, 366 parlamentares votaram a favor e 161, contra. O projeto já havia sido aprovado na Câmara Baixa em fevereiro, passando com 400 votos a favor e 175 contra.

A informação é publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, 22-05-2013.

Embora o casamento homossexual não tenha causado protestos em massa pela Grã-Bretanha, como ocorreu na França, a negociação da lei enfraqueceu o governo de Cameron, que só conseguiu aprová-la com a ajuda do rival Partido Trabalhista, principal grupo de oposição.

 

Fonte: http://www.ihu.unisinos.br/noticias/520350-londres-aprova-casamento-entre-homossexuais


comentar
publicado por Riacho, em 17.05.13 às 18:37link do post | favorito

A proposta do PS para a coadoção por casais ou unidos de facto do mesmo sexo foi aprovada hoje no Parlamento, com 99 votos a favor, 94 votos contra e 9 abstenções.

Após a aprovação, as galerias irromperam em gritos de celebração e palmas, com muitas pessoas em lágrimas. A deputada socialista Isabel Moreira, uma das primeiras subscritoras da proposta, conjuntamente com Pedro Delgado Alves, mostrou-se muito emocionada.

Apesar da proposta ser da autoria do PS, houve 16 deputados do PSD a votá-la favoravelmente, já que o partido deu liberdade de voto à bancada, tal como no PS, aliás, ontem se registaram três abstenções. No CDS não houve votos a favor, mas registaram-se três abstenções. As bancadas do BE, PCP, PEV votaram favoravelmente.

Teresa Leal Coelho, Luís Menezes, Francisca Almeida, Nuno Encarnação, Mónica Ferro, Cristóvão Norte, Ana Oliveira, Conceição Caldeira, Ângela Guerra, Paula Cardoso, Maria José Castelo Branco, Joana Barata Lopes, Pedro Pinto, Sérgio Azevedo, Odete Silva e Gabriel Goucha foram os sociais-democratas que votaram a favor do diploma. Abstiveram-se Pedro Silva Pereira, Miguel Laranjeiro e José Junqueiro, do PS; Duarte Marques, João Prata e Sofia Bettencourt, do PSD; e João Rebelo, Teresa Caeiro e Michael Seufert, do CDS. Os dois socialistas que votaram contra foram António Braga e João Portugal.

O diploma do PS sobre coadoção por casais ou unidos de facto do mesmo sexo pretende estender o vínculo de parentalidade de um dos elementos do casal (pai ou mãe biológica ou adotante) ao cônjuge que ainda não o possui em relação à criança.

Propostas do BE e d' Os Verdes para adoção plena rejeitadas

Logo depois, foi votada a proposta do Bloco de Esquerda, que foi rejeitada, com 77 votos a favor, 104 votos contra e 21 abstenções. Os votos contra foram provenientes da maioria da bancada do PSD, do CDS e de seis deputados socialistas. 

O diploma apresentado pelo BE diferia do diploma do PS porque eliminava a impossibilidade legal de adoção por casais do mesmo sexo e alterava o Código do Registo Civil, tendo em conta a procriação medicamente assistida, a adoção e o apadrinhamento civil por casais do mesmo sexo. 

Do mesmo modo, a proposta d' Os Verdes que pretendia alargar as famílias com capacidade de adoção também foi rejeitada



Ler mais: http://expresso.sapo.pt/parlamento-aprova-coadocao-por-casais-homossexuais=f807709#ixzz2TZZ8fLos


comentar
publicado por Riacho, em 11.05.13 às 23:59link do post | favorito

Mesmo em países onde o casamento entre homosseuxuais é legal acontecem casos destes. Nada pode ser dado como garantido. Os direitos têm de ser defendidos diariamente!

 

O dono de um acampamento para cura de gays na África do Sul, Alex De Koker, 49, e seu empregado Michael Erasmus, 20, estão respondendo pela morte de três jovens e crime de tortura, abuso infantil e negligência. Eles coordenavam um centro de treinamento para jovens criado em 2006 com a promessa de transformar meninos em homens. Os jovens gays e afeminados eram obrigados a passar fome e comer as próprias fezes.

Após 10 meses no curso de treinamento no Echo Wild Game Rangers, instituição agora fechada e acusada de torturar jovens gays, Raymond Buys, 15 anos, (foto tirada em 2011), passou de um estado de saúde normal para a morte por desidratação e inanição. Seus pais pagaram cerca de R$5 mil, com a promessa que o jovem voltaria heterossexual para casa. Ao invés disso, além da magreza cadavérica, o jovem apresentava o braço quebrado em dois lugares,  e também machucados e queimaduras pelo corpo. Internado em uma unidade de tratamento intensivo, depois de um mês, ele não resistiu. 
 
O acampamento não era uma unidade de tratamento de homossexuais propriamente dita, mas a propaganda de entregar filhos mais homens era levada a sério pelo “general” De Koker. Rapazes com traços de feminilidade ou que não completassem as tarefas de trabalho forçado apanhavam e eram castigados. Assim foram relatados os horrores cometidos no local por outros rapazes que passaram pelo acampamento.
 
Tortura com máquinas de choque, espacamento com canos, varas e barras de ferro, proibição de ir ao banheiro à noite, para evitar encontros furtivos, eram a rotina dos jovens com traços homossexuais no local, e eles serviam de exemplo para os demais. 
 
Eric Calitz, 18, e Nicolaas Van Der Walt, 19, foram as outras vítimas do campo de concentração particular de De Koker entre 2007 e 2011. Todas as três vítimas eram meninos delicados e que se encaixavam fora do perfil masculino considerado ideal pelo “general”. Pagaram com a vida a homofobia de pais e do instrutor. Os dois acusados alegam serem inocentes das mortes. Van Der Walt foi sufocado por um cinto e Calitz teve sangramento cerebral, apontaram os exames post mortem, em ambos os casos o Echo Wild afirmou que eles morreram de ataque cardíaco.


Leia Mais: África do Sul: Mortes em campo de concentração para cura gay chocam o mundo | Revista Lado A http://revistaladoa.com.br/2013/04/noticias/africa-sul-mortes-em-campo-concentracao-para-cura-gay-chocam-mundo#ixzz2T1nRd22E 
Follow us: @revista_lado_a on Twitter | revistaladoa on Facebook

tags:

comentar
publicado por Riacho, em 09.05.13 às 19:36link do post | favorito
Governador Jack Markell assinou lei (foto AP)
Delaware, 11º Estado a legalizar o casamento gay

O Delaware tornou-se esta terça-feira o 11º Estado norte-americano a legalizar o casamento gay, depois de o Congresso Estadual aprovar legislação já assinada pelo governador Jack Markell.

O Senado do pequeno Estado do nordeste dos Estados Unidos aprovou a medida por 12 votos a favor e nove contra.

Markell disse que o Delaware «escreveu um novo capítulo e provou que a justiça e a igualdade são respeitadas no estado».

Além de Delaware, o casamento homossexual é legal vários estados do nordeste: Rhode Island, Connecticut, Iowa, Massachusetts, Maryland, Maine, New Hampshire, Nova Iorque, Vermont e Washington, além do Distrito de Columbia.


mais sobre nós
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
18

19
20
21
23
24
25

27
28
29
31


pesquisar
 
Website counter
blogs SAPO
subscrever feeds