ESPAÇO DE ENCONTRO E REFLEXÃO ENTRE CRISTÃOS HOMOSSEXUAIS em blog desde 03-06-2007
comentar
publicado por Riacho, em 30.04.10 às 20:16link do post | favorito

Note-se bem que esta chocante notícia não diz respeito a um casal homossexual. Se fosse esse o caso já ai estavam os movimentos a favor da vida e da moral e dos bons costumes em manifestações e a pedir referendos contra o casamento e a adopção por casais do mesmo sexo. Afinal onde está o superior interesse das crianças? Que sociedade permite que os pais heterossexuais cometam estes actos com os próprios filhos e ninguém dê conta de nada, ninguém saiba de nada? Os abusos ocorriam há anos. O que fez ou fazem as igrejas de concreto para ajudar estas pessoas em vez de apregoar os falsos moralismos? Ser pai e mãe nada tem a ver com orientação sexual, mas em amar do fundo do coração, aqueles que nos são confiados.

 

Carlos

 

"Menina de 9 anos contou na escola que fazia sexo com os pais e os irmãos, rapazes de 11 e 13 anos. Pintor da construção e operária fabril foram detidos, mas ela foi libertada

Quando uma menina de 9 anos desabafa na escola primária que gostava de fazer sexo, a professora ficou alarmada. Mas ao ouvir que as relações sexuais eram praticadas com os pais e com os irmãos, de 11 e 13 anos, de imediato o caso chegou à polícia. O casal, um pintor da construção civil de 39 anos e uma operária fabril de 30, foi detido (ele ficou em preventiva) e as três crianças institucionalizadas.

"Do mais escabroso que vimos." Assim descreve a PJ o caso em que os pais violavam e obrigavam-nos a praticarem sexo entre eles. A denúncia chegou quarta -feira à Directoria do Norte por via da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens em Risco de Vila do Conde, previamente alertada pela escola. No mesmo dia foram feitas diligências, com inquirições e exames médico-legais às crianças, que levaram à detenção dos suspeitos.

Os abusos ocorriam há anos. "Não se consegue precisar desde quando porque as crianças dizem que já acontecia há muito tempo sem saberem exactamente quando começou", explicou ao DN fonte da PJ. O sexo era praticado em conjunto pelos cinco elementos da família, num cenário de "total anormalidade", informou a mesma fonte, considerado que a prova recolhida contém "elementos muito consistentes". O homem ainda negou os factos no interrogatório policial, mas a mulher acabou por confessar.

A conversa da menina com a professora foi chocante. Confessou que fazia sexo com a família e acrescentou que preferia relações com os irmãos do que com o pai porque "a coisa do pai era muito grande e magoava". A criança de apenas 9 anos denotava uma total ausência de compreensão daquilo em que estava envolvida. Frisava mesmo que "gostava de fazer sexo".

De acordo com a PJ, os pais violavam os filhos, com actos sexuais consumados. "Tanto a mãe como o pai. Foram indiciados por violação e não por abusos sexuais de menores porque houve consumação. É mais grave em termos penais", explicou um investigador policial. As penas serão agravadas já que se trata dos próprios filhos.

Os dois detidos foram ontem à tarde presentes a um juiz de instrução no Tribunal de Vila do Conde, tendo José ficado preso e a mulher com a obrigatoriedade de se apresentar diariamente às autoridades.

Na freguesia de Retorta, onde o casal e os filhos viviam há menos de um ano, a população ficou incrédula. Viam José "Palhaço" como um pai severo, mas incapaz de tamanho crime. Já a mãe é conhecida por ter algum desequilíbrio mental, assim como as três crianças. A menina, apesar de alguma incapacidade, "era a mais esperta". O irmão de 11 anos mal consegue falar de forma normal para a sua idade. Os dois mais novos frequentavam a escola básica da freguesia. A mãe, a trabalhar numa fábrica de conservas, em Vila do Conde, deixava-os numa ama. "Eu depois passava lá e levava-os para a escola. Ao final da tarde transportava- -os até casa, onde o irmão mais velho, a estudar na cidade, os esperava", explicou ao DN Cristina Soares, motorista do autocarro escolar.

A verdade é que anteontem, quando foi buscar as duas crianças à escola, foi informada de que elas iriam permanecer lá. No exterior, dentro de dois automóveis, as professoras esperavam pela chegada das assistentes sociais da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Vila do Conde.

"Ao passar junto ao cruzeiro vi a mãe e quando lhe contei o que acontecera na escola ela ficou preocupada. Agora sei porquê, deve ter percebido que as crianças tinham falado de alguma coisa", acrescenta a motorista.

A família vive numa casa modesta da Rua de Camões da freguesia. "Ele gosta pouco de trabalhar. Chegou a ser funcionário numa empresa juntamente com o meu marido, mas depois saiu. Estava sempre a mentir e a inventar doenças nele e nos filhos", refere Maria Fernanda Tiago. Os vizinhos contam ainda que devido às dificuldades económicas do agregado não faltavam ajudas.

As três crianças estão agora num centro de acolhimento."

 

 

 

Fonte: http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1557111&seccao=Norte

 

 

 


comentar
publicado por Riacho, em 29.04.10 às 22:08link do post | favorito

A divorciada Catherine Remming vive numa vila Alpina, na Bavária. Um dia ela recebe de seu filho Hans, que é estudante de arquitetura em Berlim, uma carta a dizer que quer se casar em breve com Nicki. Catherine nunca viu Nicki e imagina que é um nome feminino. Como as pessoas vão reagir ao saberem que Nicki é um homem?

 

 

Para ver o filme completo clica aqui: http://cinema-gay.blogspot.com/2010/02/all-you-need-is-love.html


comentar
publicado por Riacho, em 28.04.10 às 00:29link do post | favorito

Após uma sessão no Congresso para discutir a liberação do casamento gay na Argentina, a Igreja Católica do país declarou que a união entre pessoas do mesmo sexo altera "os princípios da lei natural".

Internet
Internet


De acordo com a Igreja, se o casamento gay for permitido "o Estado estará agindo de maneira errada e entrará em contradição com seus próprios deveres ao alterar princípios da lei natural e da ordem pública da sociedade argentina. A união de pessoas do mesmo sexo carece dos elementos biológicos e antropológicos do matrimônio e da família".

Mesmo com as críticas da Igreja, uma comissão do Congresso aprovou que deputados discutam um projeto para mudar o Código Civil, onde a expressão "marido e mulher" se transformaria no termo "contraentes".

 

Fonte - http://www.primeiraedicao.com.br/?pag=brasil_mundo&cod=7912

 

Mas afinal a lei natural não se baseia na natureza,  criação de Deus? Não é homossexual quem quer mas quem nasceu com essas características, quem nasceu com esse dom. A homossexualidade complementa a heterossexualidade não a pode substituir e, portanto, não pode por em causa a reprodução da espécie. A homossexualidade existe desde a criação do mundo e há menos de 200 anos eramos mil milhões de terrestres, hoje já ultrapassamos a barreira dos 6 mil milhões. Continua a Igreja a afirmar que a homossexualidade (situação que ocorre na natureza em diversas especies de animais) não é criação de Deus? Negar esta evidência não significa negar o próprio Deus? Não significa aprisioná-lo nas limitações do pensamento humano?


comentar
publicado por Riacho, em 26.04.10 às 20:34link do post | favorito

Olá

 

Divulgamos hoje um novo portal de temática LGBT. Visita já.

 

 

"Está lançado o portal de notícias e eventos que reflecte o dia-a-dia da temática LGBT em Portugal e no mundo, de forma objectiva e sem preconceitos, destinado a tod@s que gostem de estar em cima do acontecimento.

 

Dezanove é o número do artigo da Declaração Universal de Direitos Humanos que diz que todo o ser humano tem direito à liberdade de opinião e expressão, mas também de procurar, receber e transmitir informações e ideias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras.

Visita-nos em www.dezanove.pt

 

 

E segue-nos no www.facebook.pt e no twitter.com/dezanovePT "

tags: , ,

comentar
publicado por Riacho, em 25.04.10 às 02:45link do post | favorito

Espectacular performance de Jeanine Mason & Phillip Chbeeb.

 

 

 


comentar
publicado por Riacho, em 24.04.10 às 15:33link do post | favorito

Anda muita gente nervosa com a possibilidade de haver uma lei que consagra o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, a começar pela emissora católica nacional. O melhor mesmo é descontrairem-se e ir ao cinema ver o filme: Eu amo-te Phillip Morris.

 

"A Presidência da República desmente qualquer decisão tomada sobre a lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Notícias deste sábado davam conta de que Cavaco Silva se preparava para vetar a lei, mas o Palácio de Belém nega a informação.

 

O desmentido chegou por fax às redacções. Segundo a Presidência da República, Cavaco Silva, ainda não terá tomado qualquer decisão sobre o diploma que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Este comunicado é a resposta à notícia avançada ontem pela Renascença. A Rádio não refere fontes, mas avança que o Presidente deverá anunciar o veto, a partir de 14 de Maio, logo após a visita de bento XVI a Portugal.

Segundo a Constituição, o Presidente tem 20 dias para assinar ou vetar um diploma, depois da sua publicação no Diário da República e a lei que permite o casamento entre homossexuais ainda nem sequer foi publicada.

O polémico diploma foi aprovado na Assembleia, a 11 de Fevereiro com os votos do PS, do Bloco de Esquerda, do PCP e dos Verdes.

Cavaco pediu a fiscalização de 4 artigos, mas o Tribunal Constitucional não encontrou qualquer irregularidade. Resta agora ao Presidente o veto político, que caso seja feito terá de ser justificado. Nessa situação, o diploma volta ao Parlamento e se for novamente aprovado por maioria, Cavaco Silva será obrigado a promulgar."

 

In-http://sic.sapo.pt/online/noticias/pais/Belem+desmente+qualquer+decisao+sobre+o+diploma+que+consagra+o+casamento+homossexual.htm


comentar
publicado por Riacho, em 22.04.10 às 20:34link do post | favorito

Steven Russel (Jim Carrey) passou metade da sua existência fiel ao estereótipo de homem bem enquadrado e perfeitamente adaptado: foi um bom cristão, um marido exemplar e um pai dedicado. Tudo isto até ao dia em que, após um acidente de carro, se dá a grande epifania da sua vida e se assume como homossexual. Decidido a mudar de rumo, deixa tudo e parte para a Florida. Aí tenta enquadrar-se na comunidade gay arranjando um esquema de pedidos de indemnizações que lhe garantem um luxuoso estilo de vida, forjando acidente atrás de acidente. Tudo parece correr-lhe de feição até ao dia em que se torna vítima dos seus próprios esquemas e é preso por fraude. E será durante essa estada num estabelecimento prisional que encontrará Phillip Morris (Ewan McGregor) por quem sentirá imediatamente um amor arrebatado que o levará às mais inconsequentes e arriscadas decisões da sua vida.
Baseado num livro do jornalista Steven McVicker sobre a história verídica de um vigarista americano que se tornou famoso nos anos 90, é a estreia na realização da dupla de argumentistas Glenn Ficarra e John Requa.
Após uma série de mirabolantes fugas ao presídio, o verdadeiro Steve Russel encontra-se hoje a cumprir 144 anos de prisão no estado do Texas. Phillip Morris vive incógnito intervindo, neste filme, como figurante anónimo. (PÚBLICO)

 

 

 

 


comentar
publicado por Riacho, em 20.04.10 às 22:57link do post | favorito

por CÉU NEVES  

Homossexuais querem mudar Igreja e comungar sem reservas

São praticantes e reúnem-se num hotel porque nenhuma paróquia lhes abriu as portas. E só um padre lhes disse sim

O trabalho de casa era ler um texto do Envagelho de São Lucas, capítulo 4, versículos de 14 a 30. Relata o início da vida pública de Jesus, onde fala da sua vida e missão e, diz o texto bíblico, apesar da Boa Nova, nem todos acolhem Jesus do mesmo modo. "O que é que este texto tem que ver connosco, com a nossa vida, homossexuais como somos? Acrescento que, por algumas declarações que ouvimos de irmãos nossos na hierarquia da Igreja, poder-se-á pensar que o Senhor não está sobre nós!"

A pergunta é de José Leote, coordenador nacional do Rumos Novos, grupo homossexual católico, e que lança o desafio para o debate do encontro mensal de sábado, no Ibis Saldanha, em Lisboa. Nenhuma paróquia lhes abriu as portas e, no final da sessão, colocam um donativo num envelope para suportar as despesas. Funcionam à semelhança de outros grupos católicos, em que existe uma primeira parte de discussão bíblica, uma segunda de oração e uma terceira de convívio. Têm um padre a presidir, um assistente de que não revelam o nome e que encontraram depois de percorrerem uma lista extensa. Desta vez, o padre está ausente, bem como as duas mulheres do grupo.

Estão nove homens na sala, entre os quais três casais, sendo que não ultrapassam os 15 nos dias de maior participação. Isto apesar dos muitos contactos através da Internet, o que os leva a concluir que serão 300 no País. São católicos praticantes, confessam-se, comungam e são padrinhos, tudo o que a hierarquia da Igreja lhes proíbe. Dizem que o fazem conscientemente.

A sala tem as mesas dispostas em quadrado, que fecha com um altar. Iniciam a sessão com o lema: "Hoje, cumpriu-se a escritura."

Partem do texto bíblico, mas a discussão logo deriva para os temas quentes da actualidade: os casos de pedofilia na Igreja; a forma como a hierarquia "escondeu o assunto" e as recentes declarações de Tarcisio Bertone, vinculando a homossexualidade à pedofilia", e que, mais tarde, o Vaticano veio dizer que se referia aos padres. "Pior a emenda que o soneto!", ouve-se na sala. E outra voz acrescenta: "Cada vez são mais conservadores. E os mais novos são piores..."

O DN reformula a pergunta inicial já no final do encontro. "Sentem que o Senhor está sobre vós?" "Claro!", é a resposta. "O que retiramos é o papel que a palavra de Deus representa na vida de cada um de nós e na forma como vivemos o dia-a-dia", explica António Filipe. "Participamos da eucaristia, somos baptizados e professamos a fé católica", justifica José Leote, 39 anos, professor .

Já José Ribeiro, 59 anos, professor de Matemática, com três filhos de um casamento, diz não se sentir "especialmente ligado à Igreja", estando mais interessado na discussão teológica do que na prática, embora vá à missa. "É uma questão de tradição familiar e de percurso de vida."

O que têm de comum, bem como a todos os elementos e simpatizantes do Rumos Novos, é a certeza de que não faria sentido mudar de religião. "Acreditamos nos valores católicos, na família, num casal estável, fiel. E acreditamos que é possível mudar a Igreja por dentro", justifica José Leote. Mas não acreditam que a mudança surja com Bento XVI. É sem entusiasmo que vêem a visita ao País.

 

Mais informações em http://rumosnovos.no.sapo.pt/

 


comentar
publicado por Riacho, em 19.04.10 às 23:31link do post | favorito

por MANUELA PAIXÃO, Roma

Ícone 'gay' foi vítima de padre pedófilo

Francesco Zanardi denunciou abusos que sofreu em criança num colégio para crianças problemáticas.

 

Grande defensor dos direitos dos homossexuais em Itália há mais de 20 anos, Francesco Zanardi veio agora denunciar ter sido vítima de abusos sexuais por parte de padres pedófilos quando era aluno interno de um colégio religioso em Savona. Em plena polémica sobre pedofilia na Igreja Católica, este homem de 39 anos decidiu agora vir a público garantir ser uma das vítimas dos abusos alegadamente cometidos em 1983 pelo director daquela instituição para crianças problemáticas.

A polícia de Savona, no Norte de Itália, iniciou uma investigação para apurar responsabilidades sobre os abusos sexuais. O arcebispo Vittorio Lupi já suspendeu entretanto o padre suspeito de pedofilia, obedecendo às ordens da hierarquia da Igreja Católica. A revelação do escândalo de pedofilia por parte de padres obrigou não só as autoridades da região de Ligúria a abrir um inquérito como também a revelar os nomes dos sacerdotes que encobriram os casos apesar de terem conhecimento deles.

Além de revelar mais um escândalo de pedofilia, a denúncia de Zanardi representa um duplo desafio para o Vaticano. De facto, o defensor dos direitos dos homossexuais já em 2002 protagonizara uma greve de fome para forçar as autoridades de Savona a reconhecerem o seu casamento com o companheiro. Em vão.

Zanardi confessou ter sido interrogado pela polícia e ter revelado como foi vítima de abusos sexuais quando criança. "Não fui o único a ser violentado por sacerdotes. Aquele padre e vários outros abusavam de mim e dos meus companheiros. Isto prolongou-se durante anos e anos. Mas ninguém queria acreditar no que nós dizíamos", revela Zanardi. E acrescenta: "Agora recebemos mais atenção porque somos muitos a fazer as denúncias. E os culpados sentem-se ameaçados. Além disso, já desde 2009 que este padre não exerce a função sacerdotal, estando já em curso um processo para o seu afastamento do clero. Uma decisão que a Igreja assume somente em casos muito graves."

Nas últimas semanas, multiplicaram-se os casos de denúncias de abusos praticados por padres pedófilos. Depois dos Estados Unidos e da Irlanda, surgiram escândalos de pedofilia em países europeus como a Alemanha, Áustria e Suíça, mas também tem havido denúncias no México e no Brasil (o país com mais católicos do mundo - mais de 130 milhões). O escândalo atingiu a cúpula da Igreja, com o Papa a ser suspeito de ter ocultado os casos de abusos de que terá tido conhecimento. Bento XVI já enviou entretanto uma carta a pedir desculpas às vítimas irlandesas de padres pedófilos, mas tem evitado abordar o assunto em público.

Já em Savona, a investigação continua, com as autoridades a ouvirem várias testemunhas, inclusive o secretário económico daquela região. "É uma situação com zonas de sombra no que diz respeito à pedofilia", afirma Zanardi, que durante 12 anos foi técnico informático da diocese de Savona.

 

 

comentar
publicado por Riacho, em 18.04.10 às 19:19link do post | favorito

Olá

 

Pede-nos a Eduarda Ferreira que divulguemos o pedido de colaboração no questionário sobre a percepção do grau "LGBT friendly" dos espaços publicos. Não custa nada tirar uns minutinhos para ajudar o projecto.


Estou a desenvolver o projecto de investigação "Representing Spaces of (In)Equality: Layers of Visibility". O resumo do projecto pode ser lido em http://www.eferreira.net/resumoprojecto.pdf

A primeira fase deste projecto de investigação tem como objectivo mapear os espaços físicos e online lésbicos e gay em Portugal.
Momentos desta primeira fase:
1. Listar os espaços comerciais de convívio identificados como "LGBT friendly"
2. Analisar a percepção do grau “LGBT friendly” dos espaços públicos
3. Analisar os espaços online (websites, blogues, fóruns, etc.)
4. Realizar entrevistas semi-estruturadas / Focus groups

No primeiro momento da primeira fase criei uma lista de espaços "LGBT friendly" (a lista foi construída com base em informação recolhida em vários sites de temática LGBT). No período de 21 de Março a 4 de Abril de 2010, a lista esteve aberta a comentários. Está disponível em http://sites.google.com/site/lgbvisibility a lista final que inclui todas as informações enviadas. Todos os espaços listados podem ser encontrados no mapa “Espaços LGBT friendly”.

Este é o segundo momento da primeira fase :-)
Elaborei um questionário com o objectivo de analisar a percepção do grau “LGBT friendly” dos espaços públicos.
Embora se refira a sigla LGBT por ser a mais utilizada, esta investigação tem como objecto de análise as questões relacionadas com a orientação sexual e a representação dos espaços, não incluindo a análise de questões relacionadas com identidade de género. Esta opção prende-se com uma característica específica da orientação sexual relevante para este estudo, a possibilidade da invisibilidade.
A tua colaboração é muito importante!

 


Responde ao questionário em http://www.surveymonkey.com/s/LGBTvisibility
(quem respondeu à versão pré-teste, por favor responda de novo a esta versão)

Agradeço a tua disponibilidade para responder a este questionário.

Eduarda Ferreira

 



mais sobre nós
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
15
16
17

21
23

27


pesquisar
 
Website counter
blogs SAPO
subscrever feeds