ESPAÇO DE ENCONTRO E REFLEXÃO ENTRE CRISTÃOS HOMOSSEXUAIS em blog desde 03-06-2007
comentar
publicado por Riacho, em 30.09.09 às 22:02link do post | favorito

 "Morre lentamente quem não viaja,

Quem não lê,
Quem não ouve música,
Quem destrói o seu amor-próprio,
Quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma escravo do hábito,
Repetindo todos os dias o mesmo trajecto,
Quem não muda as marcas no supermercado,
não arrisca vestir uma cor nova,
não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem evita uma paixão,
Quem prefere O "preto no branco"
E os "pontos nos is" a um turbilhão de emoções indomáveis,
Justamente as que resgatam brilho nos olhos,
Sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho,
Quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho,
Quem não se permite,
Uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da Chuva incessante,
Desistindo de um projecto antes de iniciá-lo,
não perguntando sobre um assunto que desconhece
E não respondendo quando lhe indagam o que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves,
Recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior do que o
Simples acto de respirar.
Estejamos vivos, então!»

Pablo Neruda


comentar
publicado por Riacho, em 28.09.09 às 21:17link do post | favorito

Olá

 

O festival de cinema gay e lésbico de Lisboa acabou mas as sugestões de cinema continuam. Desta vez sugerimos um filme já com 15 anos mas talvez ainda desconhecido de muitos: O Padre. O Padre Greg (Linus Roache) é enviado para trabalhar  numa paróquia em Liverpool. Ele fica surpreendido ao ver que o seu novo superior, padre Metthew (Tom Wilkinson), não cumpre o celibato, mantendo um relacionamento com uma mulher. Este é apenas o primeiro factor que fará com que Greg entre em conflito e questione algumas regras da igreja. Um segundo factor é a descoberta da própria homossexualidade, quando se apaixona por um rapaz (Robert Carlyle). Mas o que mais o tortura é quando uma menina de 14 anos lhe conta que sofre abusos por parte do pai, mas Greg está de mãos atadas pelo sigilo da confissão. Dividido entre a sua vocação e a sua sexualidade, entre as regras da igreja e os problemas que testemunha, Greg teme que a sua fé seja seriamente abalada. Aqui fica a trailer do filme:

 

 

Para mais informações clica aqui: http://gayload.blogspot.com/search?q=o+padre

 

Abraço

 


comentar
publicado por Riacho, em 19.09.09 às 10:12link do post | favorito

Olá

 

O festival continua. Esta é a trailer do filme desta tarde às 15.30, na sala 1 do S. Jorge. 

 

Abraço

 

 

 


comentar
publicado por Riacho, em 18.09.09 às 11:38link do post | favorito

 ‘Morrer como Um Homem’ tem esta sexta-feira honras de abertura de mais uma edição, a 13.ª, do Queer Lisboa, Festival de Cinema Gay e Lésbico. O filme faz o retrato realista, sensível e até provocador de um travesti que se debate com um dilema interior: submeter-se a uma cirurgia e transformar-se, definitivamente, na mulher que veste todas as noites e quer ser todos os dias ou permanecer o homem que nasceu e morrer assim, segundo os desígnios de Deus?


Num filme onde a religião defronta sem pudores a homossexualidade e o transformismo, João Pedro Rodrigues segue o trajecto de Tonia, livremente inspirada na falecida Ruth Bryden e interpretada pelo actor estreante Fernando Santos, transformista de profissão, que comove no realismo e crueza da sua personagem. Apesar da trama ser dura e profunda, destaque para os momentos de humor bem conseguidos na personagem hilariante de Maria Bakker (Gonçalo Ferreira de Almeida) e para o colorido dos palcos dos playbacks cheios de lantejoulas e plumas .

Antes de chegar ao circuito comercial, a 15 de Outubro, ‘Morrer como Um Homem’ marca assim o arranque oficial do festival, amanhã, às 22 horas no Cinema São Jorge, em Lisboa, onde desfilarão mais 95 filmes que mostram o universo gay e lésbico sem tabus. Até ao próximo dia 26.

Sofia Canelas de Castro
 

 


comentar
publicado por Riacho, em 16.09.09 às 01:59link do post | favorito

Olá

 

Mais uma sugestão de cinema, baseada em factos reais, que expõe a contradição entre a discriminação da Igreja, católica neste caso, face aos homossexuais e os direitos humanos previstos na constituição de muitos países deste planeta.

 

A Igreja católica comete neste filme dois pecados: não respeita as leis do país (Canadá) ao não permitir que um aluno gay leve o seu namorado ao baile de finalistas, tendo sido condenada em tribunal a anular essa decisão e discrimina os seus filhos homossexuais negando desta forma a diversidade da criação de Deus que é Amor, isto é, negando uma parte do Amor de Deus.

 

Mais informação sobre o filme pode ser consultada aqui: http://gayload.blogspot.com/2009/09/prom-queen.html

 

 

Abraço


comentar
publicado por Riacho, em 15.09.09 às 15:03link do post | favorito

Olá

 

Sobre este tema o simpático Tiago sugere um vídeo sobre o assunto que postamos de seguida, e do qual encontramos uma versão com legendas em português.

 

 

Abraço


comentar
publicado por Riacho, em 15.09.09 às 12:21link do post | favorito

Olá

 

Começa já na sexta o festival de cinema gay e lésbico de Lisboa.

 

 

Para todas as informações sobre o evento consulta o blogue do festival aqui: http://queerlisboa.blogspot.com/

 

Abraço


comentar
publicado por Riacho, em 10.09.09 às 23:31link do post | favorito

Olá

 

Reparem como a adopção de crianças por casais gays no mundo está a crescer. Esta é uma realidade que tende a vulgarizar-se e mostra que este tipo de família não é uma ameaça às outras. Há espaço para todos na diversidade.

 

Abraço

 

"MONTEVIDÉU, Uruguai — Desde o final da década de 90, mulheres e homens homossexuais na Europa e em alguns estados da América do Norte, Austrália e outras regiões do mundo têm conseguido a autorização legal para adotar crianças.

A legislação aprovada varia substancialmente de país para país, e em alguns casos é permitido que casais gays adotem crianças sem qualquer grau de parentesco.

Datas importantes da adoção por homossexuais:

EUROPA

- 1999: Dinamarca permite a homossexuais ligados por união civil a adotar o filho de seu companheiro ou companheira; o direito de um casal gay adotar em conjunto uma criança é aprovado em março de 2009.

- 2001: Holanda se torna o primeiro país europeu a autorizar a adoção por casais gays de crianças sem relação de parentesco. As regras são idênticas à adoção por casais heterossexuais.

- 2001: Alemanha autoriza um membro do casal homossexual a adotar o filho biológico do outro desde que haja união civil.

- 2002: Suécia legaliza a adoção por casais homossexuais desde que haja união civil.

- 2005: Inglaterra e Gales permitem que casais gays adotem crianças. Medida seguida no mesmo ano pela Espanha.

- 2006: Islândia aprova lei que permite a adoção por casais homossexuais com relação estável de mais de cinco anos. Bélgica adota medida semelhante no mesmo ano.

- 2008: Noruega legaliza tanto a união civil entre homossexuais como a possibilidade de adoção de crianças.

AMERICA DO NORTE

1986: Duas mulheres da Califórnia se tornam o primeiro casal gay a adotar legalmente uma criança. Desde então, o número de estados nos EUA que permitem a adoção por casais do mesmo sexo subiu para 14. A lista inclui Nova York, Connecticut e Nueva Jersey. A situação em alguns estados é ambígua, com a adoção por homossexuais não definida explicitamente.

EM OUTRAS REGIÔES

Na Austrália a adoção por casais homossexuais foi permitida no estado de Western Austrália a partir de 2002. Também no território da capital, Camberra.

A Suprema Corte da África do Sul legalizou a adoção por casais homossexuais em 2002, sendo o único país da África a adotar a medida.

Em 2008, uma decisão do procurador-geral de Israel facilitou a adoção para casais do mesmo sexo.

Em setembro de 2009, o Uruguai se converte no primeiro país latino-americano a legalizar a adoção de crianças por casais homossexuais."


comentar
publicado por Riacho, em 08.09.09 às 23:35link do post | favorito

 "A Bíblia contém seis condenações aos homossexuais e 362 aos heterossexuais. Isso não quer dizer que Deus não ame os heterossexuais. Significa apenas que eles precisam de mais supervisão"

 

Lynn Lavner

 


mais sobre nós
Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
17

20
21
22
23
24
25
26

27
29


pesquisar
 
Website counter
blogs SAPO
subscrever feeds